Missa Solene em Honra a São Vito

Missa Solene em Honra a São Vito 

No próximo domingo, 18, a Paróquia São Vito Mártir, localizada no bairro do Brás, celebrará o dia do seu padroeiro. A missa solene será presidida por Dom Eduardo Vieira dos Santos, bispo auxiliar da Arquidiocese de São Paulo da região Sé, e será animada pelo coral Del Chiaro

Após a celebração haverá a tradicional procissão com a imagem de São Vito Mártir, que percorrerá algumas ruas do bairro, e será conduzida até a sede da Associação Beneficente São Vito, sendo acolhida pelas “Mammas” italianas. Ali, o Bispo concederá uma benção especial com a imagem do santo padroeiro.

A popular Festa de Rua de São Vito, promovida pela Paróquia, encontra-se em sua 21ª edição, e reúne semanalmente milhares de turistas e pessoas vindas de várias partes da cidade. Simultaneamente, ocorre nas imediações outra festa também dedicada a São Vito, realizada pela Associação Beneficente, realizada há 99 anos. Juntos, os dois eventos formam a maior e mais tradicional festa italiana de São Paulo.

A Paróquia

A devoção a São Vito, jovem mártir siciliano do início do quarto século, foi trazida da Itália por imigrantes provenientes da cidade de Polignano A’Mare, localizada na província da Puglia, ao sudeste da Itália, que se instalaram no bairro do Brás, em São Paulo. Criada em 24 de março de 1940, a Paróquia São Vito, há 75 anos atrai uma grande massa de fiéis.

São Vito Mártir

São Vito nasceu na Sicília e foi martirizado por volta do ano 300. Embora sua vida esteja envolta de várias lendas, sabe-se que aos 7 anos já era cristão convicto. Ao descobri-lo, seu pai tentou dissuadi-lo de sua fé para que o fato não se tornasse público. Mas o que o pai temia aconteceu e o menino foi levado perante um tribunal: após ter sido açoitado, foi posto em liberdade, mas para não ter que desistir de sua fé fugiu da Sicília junto com seu professor Modesto e sua ama-seca Crescência. Os três cristãos alcançaram as costas de Nápoles e chegaram a Roma onde puderam testemunhar sua fé com palavras e obras. Novamente presos e condenados às feras, foram salvos por forte tempestade que desabou sobre os espectadores possibilitando nova fuga para Lucânia. Com coragem e determinação continuaram a defender a fé cristã até serem novamente encarcerados. Sofreram o martírio sob o imperador romano Diocleciano, justamente aquele a quem Vito havia milagrosamente curado da epilepsia.

Serviço:

Missa Solene em honra a São Vito

Domingo 18 de Junho as 18h30

Rua Poligano A Mare, 51 –  Brás – Telefone 3227-2296