Liturgia Diária

Notícias › 10/08/2017

Congresso Mariológico aborda 300 anos de fé e devoção à Padroeira do Brasil

Começou ontem, quarta-feira, 9, o 11º Congresso Mariológico promovido pela Academia Marial do Santuário Nacional de Aparecida. O evento reúne fiéis de todo o Brasil no Centro de Eventos Padre Vitor Coelho [foto], na cidade de Aparecida (SP).

Desde 2015, a Academia Marial realiza congressos similares em preparação para a celebração dos 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora, nas águas do Rio Paraíba do Sul.

Em 2015, o Congresso Mariológico foi voltado para um estudo da imagem de Nossa Senhora Aparecida, visando uma catequese sobre o uso das imagens na Igreja Católica. No ano passado, o evento tratou de Maria na liturgia e na piedade popular. A edição deste ano tem por tema “Aparecida: 300 anos de fé e devoção”.

De acordo com o diretor da Academia Marial, padre Valdivino Guimarães, o próprio tema sugere o entendimento do evento. “São 300 anos de uma caminhada de fé do povo de Deus no Brasil e de devoção a Nossa Senhora Aparecida”, evidenciou.

O objetivo é fazer entender a devoção a Nossa Senhora por um viés mais sociológico, já que os congressos anteriores abordaram a devoção sob o ponto de vista litúrgico e devocional.

“Por meio do estudo e da pesquisa, vamos entender a devoção a Nossa Senhora Aparecida. Quando falamos em cunho sociológico, significa entender o contexto socioeconômico, cultural, político e, claro, toda a história desta devoção, desde o encontro da imagem até os dias atuais”, explicou o padre.

“Não adianta ficarmos apenas no devocional. Temos que entender como, historicamente, se deu o encontro da imagem de Nossa Senhora e como fizemos toda essa caminhada devocional e histórica até os dias atuais”, acrescentou.

Da programação, padre Valdivino destacou a palestra de abertura que aconteceu ontem à noite, sobre “As hermenêuticas de Aparecida”. Hoje, destaque para a palestra sobre a  “História da devoção a Aparecida no contexto popular”. À tarde, uma mesa de debates tratará do “mito de origem da devoção”, a partir de uma leitura junguiana (que parte das teorias de Carl Gustav Jung, teórico importante da Psicologia) da imagem das águas. A noite desta quinta-feira ficou reservada para um momento cultural e o lançamento de três livros sobre a Virgem Maria, frutos dos Congressos Mariológicos. Além disso, será apresentada uma coleção de três medalhas, alusivas aos 300 anos de Aparecida, em parceria com a Casa da Moeda.

A organização do Evento está a cargo do Programa de Pós Graduação em Ciência da Religião da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e da Academia Marial do Santuário de Aparecida. O evento conta com um Comitê Científico composto por especialistas. Isto, segundo os organizadores, garantirá a qualidade acadêmica das comunicações e mesas redondas.

O 11º Congresso Mariológico terminará no domingo, 12, com a celebração da Eucaristia, às 18h.

Por Canção Nova

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.