Liturgia Diária

Notícias › 09/05/2017

Cardeal Sandri: mundo não abandone cristãos perseguidos

A Congregação para as Igrejas Orientais celebrou estes dias seu centenário junto ao do Pontifício Instituto Oriental. O Dicastério encontra-se neste período fortemente empenhado no auxílio às comunidades católicas do Oriente atingidas por guerras e perseguições. Para nos falar sobre este importante aniversário a Rádio Vaticano entrevistou o cardeal prefeito Leonardo Sandri. Eis o que disse:

Cardeal Leonardo Sandri:- “Com certeza, podemos dizer que este aniversário é muito importante para a vida da Congregação e para o Pontifício Instituto Oriental. É um momento de reflexão sobre a grande importância que as Igrejas orientais católicas têm na Igreja católica de Roma e sobre como cresceu para a Igreja esta consciência de ter uma riqueza que vem dos Apóstolos, das Igrejas apostólicas, e que se traduz na disciplina, na Liturgia, na patrística, na espiritualidade, que são realmente fontes importantíssimas também hoje – como ressaltou em seu tempo o Papa João Paulo II – para enfrentar o nosso caminho face ao ser discípulos de Cristo.”

RV: O senhor disse estes dias que foram dados muitos passos, mas há ainda muitos outros a serem dados…

Cardeal Leonardo Sandri:- “Exatamente, porque essa consciência, não somente da existência, mas da importância destas Igrejas para a vida espiritual da Igreja, significa também que devemos considerar os problemas de hoje como o da emigração de todos aqueles que fogem por causa da guerra, especialmente neste período no Oriente Médio. A perseguição e o exílio fizeram de modo que muitos de nossos irmãos cristãos, católicos, orientais, se deslocassem em nossos países em busca de segurança, paz e uma perspectiva de futuro com mais esperança. Por isso, significa que todo o nosso trabalho deve orientar-se no sentido de ir ao encontro de todas essas necessidades. Nesse sentido temos sempre a colaboração de toda a Igreja latina – bispos, sacerdotes e fiéis – pela qual agradecemos. E esse é o caminho que se encontrará no futuro para as Igrejas orientais, claro, jamais abandonando o Oriente Médio, de tal modo que seja sempre uma presença cristã, não somente de monumentos e de pedras que não falam e que não pensam, mas de pedras vivas que seguem Cristo porque um fator de paz, de equilíbrio para todos esses países. Seremos poucos cristãos, não seremos muitos, mas estaremos sempre a serviço destes países pela reconciliação e pela paz de seus habitantes.”

RV: O que mais se pode pedir à comunidade internacional em favor dos cristãos no Oriente que estão vivendo momentos tão difíceis?

Cardeal Leonardo Sandri:- “A comunidade internacional sempre foi exortada por todos os Papas a buscar e a encontrar a paz. Nesse sentido gostaria de ressaltar todos os apelos do Papa Francisco e também sua última viagem, na qual foi ao Egito, onde convidou justamente à paz e à reconciliação, à defesa da dignidade da pessoa humana e dos valores que são justamente o fundamento de uma convivência possível para todos, evitando sempre a violência, evitando sempre a divisão, o ódio e o terrorismo, e nesse sentido, que nenhuma religião jamais possa ser para ninguém inspiração para a violência e para o ódio. A Igreja faz tudo isso em seu ensinamento nas escolas e em todas as instâncias que se encontram sob seu controle. Os apelos à comunidade internacional são sempre muitíssimos e esperamos que haja essa resposta da parte dela, especialmente dos países que têm mais incidência nesta Região a fim de que logo, o quanto antes, haja paz, segurança na Síria, no Iraque e em todo o Oriente Médio.”

Por Rádio Vaticano

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.