Evangelho do dia › 24/02/2017

6ª-feira da 7ª Semana do Tempo Comum

1ª Leitura – Eclo 6,5-17

Ao amigo fiel não há nada que se compare.

Leitura do Livro do Eclesiástico 6,5-17

5 Uma palavra amena multiplica os amigos e acalma os inimigos;
uma língua afável multiplica as saudações.
6 Sejam numerosos os que te saúdam,
mas teus conselheiros, um entre mil.
7 Se queres adquirir um amigo, adquire-o na provação;
e não te apresses em confiar nele.
8 Porque há amigo de ocasião,
que não persevera no dia da aflição.
9 Há amigo que passa para a inimizade,
e que revela as desavenças para te envergonhar.
10 Há amigo que é companheiro de mesa
e que não persevera no dia da necessidade.
11 Quando fores bem sucedido, ele será como teu igual
e, sem cerimônia, dará ordens a teus criados.
12 Mas, se fores humilhado, ele estará contra ti
e se esconderá da tua presença.
13 Afasta-te dos teus inimigos
e toma cuidado com os amigos.
14 Um amigo fiel é poderosa proteção:
quem o encontrou, encontrou um tesouro.
15 Ao amigo fiel não há nada que se compare,
é um bem inestimável.
16 Um amigo fiel é um bálsamo de vida;
os que temem o Senhor vão encontrá-lo.
17 Quem teme o Senhor, conduz bem a sua amizade:
como ele é, tal será o seu amigo.
Palavra do Senhor.

Salmo – Sl 118, 12. 16. 18. 27. 34. 35 (R. 35a)

R. Guiai-me pela estrada do vosso ensinamento!

12 Ó Senhor, vós sois bendito para sempre; *
os vossos mandamentos ensinai-me! R.

16 Minha alegria é fazer vossa vontade; *
eu não posso esquecer vossa palavra. R.

18 Abri meus olhos, e então contemplarei *
as maravilhas que encerra a vossa lei! R.

27 Fazei-me conhecer vossos caminhos, *
e então meditarei vossos prodígios! R.

34 Dai-me o saber, e cumprirei a vossa lei, *
e de todo o coração a guardarei. R.

35 Guiai meus passos no caminho que traçastes, *
pois só nele encontrarei felicidade. R.

Evangelho – Mc 10,1-12

O que Deus uniu, o homem não separe!

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos 10,1-12

Naquele tempo:
1 Jesus foi para o território da Judéia,
do outro lado do rio Jordão.
As multidões se reuniram de novo, em torno de Jesus.
E ele, como de costume, as ensinava.
2 Alguns fariseus se aproximaram de Jesus.
Para pô-lo à prova,
perguntaram se era permitido ao homem
divorciar-se de sua mulher.
3 Jesus perguntou:
‘O que Moisés vos ordenou?’
4 Os fariseus responderam:
‘Moisés permitiu escrever uma certidão de divórcio
e despedi-la’.
5 Jesus então disse:
‘Foi por causa da dureza do vosso coração
que Moisés vos escreveu este mandamento.
6 No entanto, desde o começo da criação,
Deus os fez homem e mulher.
7 Por isso, o homem deixará seu pai e sua mãe
e os dois serão uma só carne.
8 Assim, já não são dois, mas uma só carne.
9 Portanto, o que Deus uniu, o homem não separe!’
10 Em casa, os discípulos fizeram, novamente,
perguntas sobre o mesmo assunto.
11 Jesus respondeu:
‘Quem se divorciar de sua mulher e casar com outra,
cometerá adultério contra a primeira.
12 E se a mulher se divorciar de seu marido
e casar com outro, cometerá adultério.’
Palavra da Salvação.

Reflexão – Mc 10, 1-12

A nossa vida é condicionada por leis que os homens fizeram, às quais nós devemos nos submeter para viver na legalidade. Porém, devemos ter consciência do fato de que, nem tudo o que é legal, é justo, no sentido pleno da palavra. Podemos citar alguns exemplos como a questão dos juros: é legal para o banco pagar menos de 1% ao mês para cadernetas de poupança e cobrar mais de 10% ao mês por empréstimos que realiza. É legal na sociedade brasileira o divórcio que, perante os olhos de Deus, não conduz o homem à justiça, mas sim ao pecado e à morte, pois desrespeita compromissos e direitos de cônjuges, filhos, da comunidade eclesial e da própria sociedade.

Fonte: CNBB