Liturgia Diária

Evangelho do dia › 14/06/2017

4ª-feira da 10ª Semana do Tempo Comum

1ª Leitura – 2Cor 3,4-11

Ele é que nos tornou capazes
de exercer o ministério de uma aliança nova.
Esta não é uma aliança da letra, mas do Espírito.
Leitura da Segunda Carta de São Paulo aos Coríntios 3,4-11

Irmãos:
4 É por Cristo que temos tal confiança perante Deus,
5 não porque sejamos capazes por nós mesmos,
de ter algum pensamento, como de nós mesmos,
mas essa nossa capacidade vem de Deus.
6 Ele é que nos tornou capazes
de exercer o ministério de uma aliança nova.
Esta não é uma aliança da letra,
mas do Espírito.
Pois a letra mata,
mas o Espírito comunica a vida.
7 Se o ministério da morte, gravado em pedras com letras,
foi cercado de tanta glória,
que os israelitas não podiam fitar o rosto de Moisés,
por causa do seu fulgor, ainda que passageiro,
8 quanto mais glorioso não será o ministério do Espírito?
9 Pois, se o ministério da condenação foi glorioso,
muito mais glorioso há de ser
o ministério ao serviço da justificação.
10 Realmente, em comparação com uma glória tão eminente,
já não se pode chamar glória
o que então tinha sido glorioso.
11 Pois, se o que era passageiro foi marcado de glória,
muito mais glorioso será o que permanece.
Palavra do Senhor.

Salmo – Sl 98, 5. 6. 7. 8. 9 (R. Cf. 9c)

R. Santo é o Senhor nosso Deus!
5 Exaltai o Senhor nosso Deus, +
e prostrai-vos perante seus pés, *
pois é santo o Senhor nosso Deus! R.

6 Eis Moisés e Aarão entre os seus sacerdotes. +
E também Samuel invocava seu nome, *
e ele mesmo, o Senhor, os ouvia. R.

7 Da coluna de nuvem falava com eles. +
E guardavam a lei e os preceitos divinos, *
que o Senhor nosso Deus tinha dado. R.

8 Respondíeis a eles, Senhor nosso Deus, +
porque éreis um Deus paciente com eles, *
mas sabíeis punir seu pecado. R.

9 Exaltai o Senhor nosso Deus, +
e prostrai-vos perante seu monte, *
pois é santo o Senhor nosso Deus! R.

Evangelho – Mt 5,17-19

Aquele que praticar e ensinar os mandamentos,
este será considerado grande. + Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 5,17-19

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:
17 Não penseis que vim abolir a Lei e os Profetas.
Não vim para abolir,
mas para dar-lhes pleno cumprimento.
18 Em verdade, eu vos digo:
antes que o céu e a terra deixem de existir,
nem uma só letra ou vírgula serão tiradas da Lei,
sem que tudo se cumpra.
l9 Portanto, quem desobedecer
a um só destes mandamentos, por menor que seja,
e ensinar os outros a fazerem o mesmo,
será considerado o menor no Reino dos Céus.
Porém, quem os praticar e ensinar
será considerado grande no Reino dos Céus.
Palavra da Salvação.

Reflexão – Mt 5, 17-19

O verdadeiro cumprimento da Lei não significa apenas a obediência a ela. Significa descobrir os valores que são inerentes a ela, as motivações que estão por trás dela e as conseqüências da sua observância para a felicidade pessoal, para a construção de um mundo melhor para todos e principalmente para que possamos descobrir o bem maior para as nossas vidas, que é o projeto de Deus para a humanidade, e assumir como próprio de cada um de nós este projeto que nos é proposto pelo próprio Deus. Jesus nos mostra que Deus não quer de nós a infantilidade da obediência cega, mas a maturidade da co-responsabilidade no projeto do Reino.

Fonte: CNBB